Prosciutto crudo, quem curte?

Já provou o presunto cru italiano? O nome faz referência a um presunto curado feito a partir da perna do porco e servido sem cozimento. A palavra “prosciutto” vem do latim perexcuctum, que significa “completamente enxugado ou seco”.

Na Itália, os mais renomados são o Prosciutto di Parma e o Prosciutto di San Daniele. No Brasil podem custar mais de R$ 150,00 o quilo.

Em Parma, em setembro, há um festival que celebra a ligação histórica do produto e a paixão pelas coisas boas e genuínas da própria terra, com visitação aos produtores locais que um processo artesanal sem uso de conservantes que envolve a cura de no mínimo 12 meses até o produto estar pronto para o consumo.

A programação inclui participação em eventos culturais com gastronomia com menu dedicado à iguaria e shows musicais.

Saiba mais em http://www.festivaldelprosciuttodiparma.com/

Festival Prosciutto di Parma acontece todos os anos na Itália.
Festival Prosciutto di Parma acontece todos os anos na Itália.

 

prosciutto-crudo-presunto-cru

 

Colomba Pascal, o pão doce italiano servido na Páscoa

A colomba pascal é um pão doce italiano. A Grande Enciclopedia Illutrada della Gastronomia informa que rei Alboino, que governou a Lombardia no século 6º, tomou a cidade de Pavia e ia incendiá-la quando qum padeiro com seu pão doce em formato de pomba da paz amenizou o furor do rei e o convenceu a desistir da guerra. Era véspera do feriado da Páscoa, do ano de 572.

A receita foi resgatada pelo padeiro italiano Angelo Motta na segunda metade do século 20 para a produção comercial. No Brasil, a iguaria chegou apenas nos anos 1970. A massa leva farinha, ovo, manteiga, açúcar, fermento e água. A verdadeira colomba pascal leva apenas raspas de casca de laranja ou laranja cristalizada.

Na Itália, a Páscoa é no começo da Primavera, daí os aromas cítricos que remetem ao frescor da estação. Lá a colomba é servida após o almoço de Páscoa, no Brasil, é mais frequente no café da manhã.

Saiba mais no Paladar/Estadão.

Colomba pascal. Paladar/Estadão. Foto Walter Costa.
Colomba pascal. Paladar/Estadão. Foto Walter Costa.

Dia Mundial do Café

Quem não curte um cafezinho? Aqui no Divina Itália a gente ama, principalmente o forte e marcante café espresso. E hoje, 14 de abril é o Dia Mundial do Café. O grão torrado e moído é usado em bebidas quentes, frias, doces e salgados e utilizado na gastronomia mundial.

A história do café começa na Etiópia, mas o Egito e a Europa que difundiu a bebida ao mundo. O café veio para As Américas em 1727 e a primeira muda do tipo arábica foi plantada na Guiana Francesa.

Hoje o Brasil é o maior produtor mundial do café, seguido do Vietnan e da Colômbia e consumido por nove entre dez brasileiros acima de 15 anos, segundo dados da Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic). O principal estado produtor do café arábica é Minas Gerais, com 24 milhões de sacas/ano. O Espírito Santo se destaca com a produção de 7,3 milhões de sacas de café conilon.

Café espresso – paixão italiana

Na Itália, o forte e marcante café espresso faz parte da cultura alimentar. O nome “espresso” vem de “espremido” porque o pó é compactado na máquina. A processo foi inventado por Angelo Moriondo. Na máquina, uma forte pressão de água fervente atravessa o café em pó. Outros inventores aperfeiçoaram o sistema mecânico da famosa máquina de café espresso.

 

cafe

Sobrou macarrão? Aproveite em deliciosas receitas

Existe uma campanha internacional contra o despedício de alimentos “Love Food, Hate Waste” (tradução: “ame a comida, deteste o desperdício”) e nós apoiamos a iniciativa! O Waste & Resources Action Programme (WRAP) descobriu que pessoas que planejam, criam listas de compras e monitoram os alimentos que têm disponíveis na despensa, desperdiçam menos comida do que os “compradores espontâneos”. E uma das ações da organização é incentivar as pessoas a tirar proveito das sobras de alimentos em novas receitas.

Dentro desta abordagem, abaixo sugerimos abaixo a omelete (frittata di pasta) e o suflê. Ambas aproveitam a sobra da massa que ficou na panela ou na travessa. Mãos à obra e buon appetito!

Omelete de macarrão

Omelete de macarrão leva ovos e queijo.
Omelete de macarrão leva ovos e queijo.

 

 

Ingredientes: 400 gr Pasta (ou sobras de massa – normalmente sobra massa de tomate)

4 ovos 40 gr Parmiggiano/parmesão (ralado)

100 gr mussarela (cortado em cubos)

10 gr Salsa (picada)

50ml Azeite Sal e pimenta (a gosto)

 

Em uma tigela, misture os ovos e o parmesão com uma pitada de sal e pimenta. Adicione o macarrão (ou sobras de macarrão) , salsa e mussarela nos ovos batidos até ficar bem misturado. Aqueça um pouco de óleo em uma frigideira e adicione a mistura de macarrão com ovos e cozinhe por 9 minutos de cada lado em fogo médio. Coloque sobre um prato e polvilhe o parmesão e salpique a salsa picada por cima.

Suflê de macarrão

Suflê de macarrão com queijo rende 10 porções.
Suflê de macarrão com queijo rende 10 porções.

 

 

(receita da Abima)

3 xícaras (chá) de sobras de macarrão cozido

500ml de leite frio

1 colher (sopa) de cebola cortada em cubinhos

1 envelope de caldo de legumes em pó

4 gemas 100ml de óleo

¾ de xícara de chá de farinha de trigo

1 colher de sopa de fermento em pó

50g de queijo tipo parmesão

50g de queijo tipo provolone (opcional)

½ xícara (chá) de cheiro verde fresco cortado

Sal e pimenta do reino a gosto

4 claras batidas em neve

Recheio

1 colher (sopa) de queijo tipo gorgonzola ralado grosso

100g de queijo tipo suíço ou prato, ralado ou em cubinhos

4 colheres (sopa) de requeijão firme

Noz moscada e pimenta-do-reino a gosto

Cobertura 50g de queijo tipo parmesão ralado

2 colheres (sopa) de farinha de rosca

Para assar 10 formas pequenas untadas com manteiga e polvilhadas com farinha de rosca

Recheio Misture os queijos com o requeijão, tempere com noz moscada e pimenta-do-reino a gosto. Reserve Massa Bata no liquidificador o macarrão, o leite, a cebola, o caldo de legumes e as gemas. Em uma tigela, misture o óleo, a farinha de trigo com o fermento, os queijos e o cheiro verde. Tempere com sal e pimenta-do-reino a gosto. Por último, misture delicadamente as claras em neve Coloque uma porção de massa na forma, espalhe o recheio e cubra com mais uma porção de massa. Coloque a cobertura e leve para assar em forno médio até dourar Rendimento: 10 porções

Páscoa na Itália: feriado é comemorado na segunda-feira com piquenique!

A Itália é um país religioso, sobretudo católico, e comemora a Páscoa em grande estilo. Na mesa do domingo não pode faltar a Torta Pasqualina, a Pastiera di Grano e a Colomba Pascal.

O momento da Páscoa coincide com o início da Primavera, mas o ápice das celebrações de chegada da nova estação é um dia depois do domingo de Páscoa. Por isso, lá na Itália não tem feriado na sexta-feira como no Brasil. O feriado chamado de Pasquetta ou Pasquela é na segunda-feira, para comemorar a primavera.

Na Pasquetta, o italiano sai de casa para fazer piqueniques nos parques. Este dia é também chamado de “LunedÌ dell’Angelo” ou “Segunda-feira do Anjo” (aparição do anjo no sepulcro de Jesus, anunciando-lhes a ressurreição, diante das mulheres).

O feriado da Pasquetta é um dia de celebração e confraternização entre familiares e amigos para comemorar a nova estação das flores que chega embelezando tudo.

Buona Pasqua!

Na Pasquetta é dia de confraternizar com amigos e parentes em parques para comemorar o início da Primavera.
O feriado da Pasquetta é na segunda-feira, após o domingo de Páscoa. É dia de piquenique no parque para confraternizar e comemorar a chegada da Primavera. Foto:  www.meteo10.it

 

A história do ravioli

Os ravioli (plural de raviolo) surgiram na Ilha da Sicília (sul da Itália) no século XII como círculos ou retângulos de massa para serem adicionados em caldos e sopas.

Com o tempo, surgiram os ravioli rechados. Ovos, queijo (ricota) e ervas eram os principais ingredientes para rechear a massa, mas foi no norte da Itália que surgiram os ravioli com recheio de carne.

Reza a tradição que os ravioli devem ter formatos quadrados ou retangulares. Com outros formatos estas massas costumam ganhar outros nomes.

Saiba mais sobre massas recheadas neste link http://bit.ly/1bFBSf1

Para provar o Ravioli, peça no restaurante Divina Itália o Brancaleone: Ravioli gigante recheado com carne bovina, linguiça calabresa, vitela e temperos tradicionais. Molho branco ou outro de sua preferência.

Ravioli artesanal. Tudo feito à mão no Divina Itália.
Ravioli artesanal. Tudo feito à mão no Divina Itália.

Mostarda: aromática, picante e milenar

A mostarda é uma especiaria milenar. A pasta se obtém das sementes amarela, preta ou marrom, no entanto, a amarela é a mais comum. Há também sementes de mostarda vermelha, versão rara, encontrada apenas na Ásia.

A mostarda tem sabor picante e aroma agradável. Para não roubar a atenção de outros ingredientes, aqui no Divina Itália oferecemos uma versão suavizada, com acréscimo de creme de leite nos molhos do filet Morricone e da salada Rossellini.  Estes são pratos de sucesso entre os frequentadores da casa cuja alma e coração é a mostarda.

Nestas receitas também costumamos adicionar sementes até porque elas contêm selênio e magnésio de ação anti-inflamatória no organismo. Então vamos comer garantindo a boa saúde do corpo.

 

A mostarda é a alma do filé Morricone e da salada Russellini.
Aqui no Divina Itália, a mostarda é a alma do filé Morricone e da salada Russellini.

 

Mostarda na Itália é uma preparação, uma especialidade

Em italiano, a palavra mostarda significa ardente. Embora o nome venha do francês, na Itália a mostarda é uma especialidade (uma espécie de conserva) e, como a maioria de receitas do país, tem versões regionais.

Na Lombardia, por exemplo, a mostarda de Mantova é preparado com marmelo cortado, maçã ou pera. Na cidade vizinha de Viadana, uma versão mais picante é feito com peras “passacrassana”, uma variedade mais dura.

A versão toscana de mostarda inclui maçãs, pêras, cristalizadas mostarda citron e mosto de uvas. Na Sicília, mostarda é também o nome de uma sobremesa, um bolo doce e levemente ácido feito com mosto de uva e farinha.

Na Itália, mostarda é o nome de um prato feito com frutas.
Na Itália, mostarda é o nome de um prato feito com frutas.

 

Saiba mais sobre a mostarda italiana em http://lacucinaitalianamagazine.com/

 

 

Sobrou molho no prato? Fare la scarpetta

Dizem que não é elegante, mas saiba que qualquer italiano faz isso quando sobra molho.  É uma ação comum… pegar um pedaço de pão e limpar o prato. Então fique a vontade…  fare la scarpetta! 

O fato é que é difícil manter a elegância na frente de um prato com um molho suculento… Você consegue? Aqui no Divina não precisa se contar… A vantagem é que aqui ninguém repara, todo mundo se sente em casa! Então, faça como nós! Aproveitar o seu molho até o finalzinho e limpar o seu prato com o pão caseiro e quentinho do Divina.

A gente fica é feliz de saber que você aproveitou!

Na Itália é comum limpar o prato com o pão para aproveitar todo o molho. Foto: Shutterstock.
Na Itália é comum limpar o prato com o pão para aproveitar todo o molho. Foto: Shutterstock.

Cubos de gelo no champagne?

A tendência do momento, nascida na Europa, é tomar champagne com cubos de gelo. Claro que a taça é a maior possível… não a flûte.

O drink chamado Piscine é polêmico. Há quem ache um desatino colocar gelo, há os que defendem alegando que a bebida fica mais leve e mais gelada … uma boa alternativa ao verão cada vez mais quente, sobretudo no Sudeste do Brasil, onde a versão já emplacou.

E você, gostaria de tomar champagne com cubos de gelo?

 

piscine-champanhe

Comida é tema de pintura hiper-realista

Se cozinhar é uma arte, o que dizer das pinturas sobre comida produzidas como se fossem reais? Estas imagens são de artistas que fazem hiper-realismo. A técnica teve sua origem na segunda metade do século XX. Nela, o realismo é levado ao extremo, ou seja, a imagem deve parecer real.

Há quem não goste porque já que parece real, por que não fotografar?
Gostos à parte, os artistas do hiper-realismo transmitem uma forte carga de emoção no trabalho, seja pelo domínio da técnica ou pela paciência e o tempo investido na conclusão da obra.

Abaixo, os quadros de Tjalf Sparnaay que apresenta alimentos que despertam o apetite.

Tjalf Sparnaay
Tjalf Sparnaay
Tjalf Sparnaay
Tjalf Sparnaay

A seguir as obras do italiano Roberto Bernardi mostra cenas da vida cotidiana de forma crítica, demonstrando a frieza e o modo automatizada em que vivemos.

Roberto Bernardi
Roberto Bernardi
 Roberto Bernardi
Roberto Bernardi

Veja outras imagens hiper-realistas neste link.