Dia 29 é Dia de Gnocchi Della Fortuna (Nhoque da Sorte)

Hoje é dia de comer nhoque e atrair sorte. Mas por que é sempre no dia 29?

Reza a lenda que no dia 29 de dezembro, São Pantaleão perambulava por um vilarejo da Itália. Cansado e com fome, pediu abrigo e comida de porta em porta. Uma família grande o acolheu e não se importaram e dividir a pouca comida à mesa com o andarilho desconhecido. São Pantaleão fez sua refeição e se foi.

Ao recolher os pratos a família descobriu que havia dinheiro embaixo do prato do homem.  Ele havia deixado em agradecimento pela refeição e à acolhida. Por isso, todo dia 29 é dia do Gnocche della Fortuna.

No famoso ritual, coloca-se dinheiro embaixo do prato e come os sete primeiros nhoques de pé. Faz um pedido para cada um e, depois, senta-se à mesa para comer à vontade os nhoques do Divina Itália. Ao final da refeição,  você deve dar o dinheiro a alguém necessitado para ter mais sorte e realizar os seus desejos.

Nhoque da Sorte, todo dia 29 no Divina Itália.
Nhoque da Sorte, todo dia 29 no Divina Itália.

A história do ravioli

Os ravioli (plural de raviolo) surgiram na Ilha da Sicília (sul da Itália) no século XII como círculos ou retângulos de massa para serem adicionados em caldos e sopas.

Com o tempo, surgiram os ravioli rechados. Ovos, queijo (ricota) e ervas eram os principais ingredientes para rechear a massa, mas foi no norte da Itália que surgiram os ravioli com recheio de carne.

Reza a tradição que os ravioli devem ter formatos quadrados ou retangulares. Com outros formatos estas massas costumam ganhar outros nomes.

Saiba mais sobre massas recheadas neste link http://bit.ly/1bFBSf1

Para provar o Ravioli, peça no restaurante Divina Itália o Brancaleone: Ravioli gigante recheado com carne bovina, linguiça calabresa, vitela e temperos tradicionais. Molho branco ou outro de sua preferência.

Ravioli artesanal. Tudo feito à mão no Divina Itália.
Ravioli artesanal. Tudo feito à mão no Divina Itália.

Já provou Grappa?

A Grappa é uma bebida alcóolica destilada típica da Itália, uma aguardente feita a partir da uva depois do processo de vinificação. Portanto, a matéria-prima é a sobra da fermentação: cascas, polpas e sementes remanescentes da prensagem das uvas. Sua destilação é feita em pequenos alambiques de cobre, logo depois de o bagaço ser separado do vinho.

Com graduação alcóolica que varia de 35% a 60%, a Grappa já tem até produção no Brasil e costuma ser servida misturada com café ou pura, como digestivo. A grappa em geral não é envelhecida, porém na Itália há pequenas produções com a palavra invecchiata grafada no rótulo.

A Grappa deve ser servida em cálices pequenos, de preferência na temperatura ambiente, para pronunciar os aromas e sabores que lembrem as uvas de origem.

Grappa: bebida italiana feita com bagaço de uvas.
Grappa: bebida italiana feita com bagaço de uvas.

Sociedade secreta criou o Spaghetti alla Carbonara

Uma das histórias ligadas à unificação italiana – que comemorou 150 anos em 2012 –, é a receita do “Espaguete alla Carbonara” (Espaguete à Cardonara), que teria sido criado por membros da Carbonária.

A Carbonária era uma sociedade secreta e revolucionária que atuou em alguns países da Europa. Fundada na Itália por volta de 1810, participou de revoltas ao longo do século XIX, incluindo a guerra pela unificação italiana.

O nome deriva de carbonaro, carvoeiro em italiano. Seus membros supostamente se encontravam nas cabanas de carvoeiros, daí o nome.

A receita original de Roma é preparada com ovos, queijo parmesão, queijo pecorino romano, toucinho, pimenta preta e ainda banha, azeite ou manteiga. Há ainda a versão com nata mas não é um ingrediente da receita original.

O toucinho mais utilizado é o denominado guanciale (bochechas de porco), mas é comum substituir por outros toucinhos. O resultado final da receita original não é uma massa com um molho abundante: os ovos e o queijo aderem aos fios de massa, formando uma espécie de capa, com pedaços de toucinho espalhados.

Há uma versão de Espaguete alla Carbonara anglo-americana com acréscimo de alho, ervilhas e, eventualmente, cogumelos.

Em ambas as versões da receita, os ovos são adicionados crus ao molho e acabam por cozer apenas com o calor da massa.

Spaghetti alla Carbonara: é só pedir que o chef faz (não está no cardápio)
Spaghetti alla Carbonara: é só pedir que o chef faz (não está no cardápio)

Therezópolis é a cerveja premium do Divina Itália

Para atender aos apreciadores mais exigentes, que anseiam por uma cerveja mais requintada, o Divina Itália oferece a Therezópolis Gold, que está na categoria Premium. “A aceitação foi imediata e a procura segue aumentado, estudamos a possibilidade de ampliar a oferta”, diz Fernando Franco, chef e sócio da casa.

As cervejas mais consumidas no Brasil são as do tipo Pilsen que correpondem a 94% do consumo. Com objetivo de atender a demanda, este tipo de cerveja é feita em escala monumental e por isso tem um gosto “padronizado”.

No caso da Premium, além de não utilizar trigo nem arroz como as pilsens, tem fermentação apenas com malte, com maturação de 15 dias (as demais levam, em geral, 7 dias). É este tempo que proporciona o sabor e aroma diferenciado. Na premium, não são adicionados produtos químicos. Por isso, é importante ficar de olho nos prazos de validade, porque o tempo para o consumo é também menor do que as cervejas comuns.

Therezópolis, cerveja premim oferecida no Divina Itália.
Therezópolis Gold é uma Premium Lager – Puro Malte, encorpada, produzida com três tipos de lúpulus importados e com a água das montanhas do Rio de Janeiro.

 

Dia Mundial da Água: novidade na mesa do Divina

O Divina Itália vai servir água mineral em jarras de vidro. A ideia é promover o consumo consciente e diminuir o resíduos gerados com imensas quantidades de garrafinhas. A água continua sendo mineral, mas proveniente de galões retornáveis.

Guardamos a notícia para chamar a atenção para o Dia Mundial da Água (22 de março). A data foi instituída pela ONU com objetivo de provocar reflexões sobre a importância da preservação de rios e mananciais já que apenas 0,0008% da água de todo o planeta é potável.

Como o Dia Mundial da Água não é só para pensar, mas também para agir, nossa atitude foi criar uma ação para usar este recurso com sabedoria, sem prejudicar o meio ambiente. A ação de servir água em jarras de vidro vai diminuir os resíduos, evitando o acúmulo de plásticos na natureza.

Vários clientes do Divina já compartilham deste compromisso e preferem serem servidos desta maneira. Além disso, esta opção permite que a gente possa aromatizar a água, com folhas de hortelã ou twist de frutas (casca de limão ou laranja, entre outras ideias). Já provou?

Água especial do Divina: aromatizada com hortelã ou com twist de frutas.
Água especial do Divina: aromatizada com hortelã ou com twist de frutas. Foto: Marvimm

Dica: a Unesco estabeleceu que 2013 é o Ano Internacional de Cooperação pela Água.

Que tal um cafezinho?

Desde 2005 o dia 24 de maio é o Dia Nacional do Café. E para quem ama cafezinho, a boa notícia é que o café está na lista de alimentos funcionais. O café fornece nutrientes e substâncias capazes de diminuir o risco de doenças.

Em doses moderadas (3 a 4 xícaras por dia) os antioxidantes e o tanino presente no café protegem as artérias e o coração, minimizando riscos de acidente vascular cerebral (AVC, ou derrame). Além disso, o café protege o fígado contra o desenvolvimento de tumores.

Segundo pesquisas do Embrapa, o produto é mais rico em minerais que bebidas isotônicas. Estudos nas duas últimas décadas mostram que a cafeína estimula naturalmente a atenção, a concentração, a memória e até mesmo o aprendizado escolar.

Então aproveite os benefícios! Peça sempre um cafezinho no final das suas refeições aqui no Divina Itália!

Carne mal passada, ao ponto ou bem passada?

O nosso filé alto é um sucesso e supre todos os gostos. E há quem diga que quer igual em casa. Este post dá algumas dicas para fazer em casa um filé nos três pontos mais comuns: mal passado, ao ponto e bem passado.

Se não vai usar o grill, opte pela frigideira de fundo pesado ou chapa de preferência de ferro. Lembre-se de não usar objetos pontiagudos para virar. Se a carne furar durante a cocção com um garfo, pode soltar o suco natural e ficar ressecada. E lembre-se que o tempo de cocção indicado pode variar — depende da chama do seu fogão.

Bife mal passado: vermelho por dentro e macio ao toque.

Carne mal passada: o bife deve ser tostado por fora e o seu interior deve estar quente, vermelho e brilhante. A carne deve estar macia ao toque, com a mesma maciez da carne crua, no entanto, a superfície deve estar dourada.
O segredo é selar a carne na chapa ou grill o mais quente possível e por um período muito curto de tempo — cerca de 1 a 2 minuto de cada lado. O tempo é estimado para um file de aproximadamente 2 cm de altura (bem menor do que no Divina).

O mal passado é o ponto preferido do verdadeiro carnívoro. Dizem por aí que no fundo, ele gosta da carne crua, mas permite que a carne passe pela chapa/grill só para não assustar ninguém! Será?

Carne ao ponto: rosada por dentro e ainda macia ao toque

Carne ao ponto: o bife médio tem uma faixa grossa rosada no meio. As laterais devem estar na cor marrom e a parte superior e inferior bem tostadas. Este bife é macio ao toque, principalmente no meio.
Para chegar neste ponto, coloque na chapa o mais quente possível e deixe em fogo alto e depois médio por cerca de 5-6 minutos de cada lado.

Se você for grelhar carne para um grupo de pessoas, este é o melhor ponto a oferecer porque agrada a maioria delas. Pelo menos é o que dizem. Mas no Divina de João Pessoa há empate entre a filé ao ponto e bem passado.

Carne bem passada: marrom por dentro e rígida ao toque.

Carne bem-passada: este ponto é o mais difícil de cozinhar porque apesar do interior estar totalmente marrom, ele tem que chegar a este ponto sem queimar a carne por fora. A carne deve estar sólida ao toque, mas não pode estar dura.
O segredo é selar em fogo alto e continuar a cocção em fogo baixo por cerca de 10 minutos de cada lado (o tempo pode variar).

Dizem as más línguas que o bife bem passado é para quem não gosta de carne! Brincadeiras à parte, o importante mesmo é manter o padrão e servir o que agrada as pessoas para deixá-las com aquele gostinho de “quero mais”!

Fonte e fotos: About

 

Torta da Djanira conquista clientes

Alguns clientes nos disseram nesta semana que vieram só para degustar a Torta da Djanira. E não foi a primeira vez que isso aconteceu. A sobremesa tem gerado fidelidade à casa, inclusive a cada dia surgem mais encomendas de clientes que querem levar a torta para festas e encontros em família.

A torta tem camadas de biscoito intercaladas com creme e cobertura de chocolate. Como não leva ovos, tem sabor levíssimo. No Divina Itália a sobremesa é servida em fatias. É feita também sob encomenda, inteira, em duas opções de tamanho.

Se você ainda não conhece… experimente. Mas alertamos… depois de provar, não dá mais para abrir mão desta sobremesa divina.

Torta da Djanira faz o maior sucesso no Divina Itália.

 

Hoje é o Dia Nacional do Café

No Brasil, a data foi criada em 2005. No entanto, a bebida é tão importante no cotidiano das pessoas que se há o Dia Nacional do Café no Brasil (24 de maio) existe também o Dia Internacional do Café (14 de abril) comemorado em várias nações do mundo.

Pesquisas da Associação Brasileira da Indústria de Café (ABIC) indicam que 95% dos brasileiros com mais de 15 anos consomem, ao menos, uma xícara de café diariamente. Como resultado, em 2010, o Brasil quebrou seu recorde no consumo interno de café: 4,81kg ou 81 litros, em média, por habitante. Já o consumo mundial do grão tem aumentado em uma média de 2,4% por ano desde 2000, segundo dados da Organização Mundial do Café (OIC).

O Brasil é o maior produtor de cafés do mundo (30 a 40% da produção mundial).

Em doses razoáveis, de uma a três xícaras por dia, o café pode prevenir doenças, tais como a cirrose hepática e a doença de Parkinson. A cafeína estimula o sistema nervoso, ajuda na concentração a mantém o humor elevado. Além disso, pesquisa de um centro de neurociências do Rio de Janeiro conclui que o aroma do café estimula áreas de prazer no cérebro.

Confira aqui o jeito italiano de fazer café.