No RS, uma réplica de vilarejo de imigrantes italianos

Em Garibaldi, na Serra gaúcha, aos poucos o veterinário Luiz Henrique Fitarelli, 51 anos, constrói uma vila que reproduz a arquitetura e os costumes dos imigrantes italianos de 135 anos atrás.

A matéria do Zero Hora, com fotos de Tadeu Vilani e texto de Rosane Tremea, informa que ele comprou o terreno de 32 hectares há 6 anos com o intuito de realizar o sonho de construir um museu a partir de sua  própria coleção de 6 mil objetos. A ideia é mostrar às novas gerações como eram as habitações rurais e as atividades artesanais que caracterizaram a cultura dos imigrantes italianos no Rio Grande do Sul.

Fitarelli tem uma coleção de 6 mil objetos. Alguns são herança de seus pais. Foto: Tadeu Vilani (Zero Hora).
Vila Fitarelli tem 32 hectares e terá capela, bodega, moinho, ferraria e cantina. Foto Tadeu Vilani (Zero Hora).

A vila já tem algumas construções. Para ficar completa terá capela de pedra (e campanário, de madeira), bodega (o armazém, no térreo; a residência da família, no segundo piso; o porão para produção e armazenagem do vinho),  moinho com roda d’água, a ferraria, a cantina, além de ovelhas pastando e riacho.

Apesar da falta de incentivo público, a vila de Fitarelli chama a atenção. No ano passado recebeu a visita da antropóloga italiana Daniela Perco, idealizadora e curadora do Museu Etnográfico da Província de Belluno, em Cesiomaggiore, norte da Itália.

Veja matéria completa no Jornal Zero Hora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *