Encontrada adega de 3700 anos – a mais antiga do mundo

Em uma região ao norte de Israel, conhecida como Canaã, foram encontradas 40 jarras de vinho que datavam de 3.700 anos atrás.

De acordo com os arqueólogos que acompanharam as escavações, os jarros estavam em uma sala que aparentemente era usada como adega — ligada a sala de jantar.

Os testes realizados nas jarras de 50 litros indicam que o vinho pode ser de um lote especial e aromatizado com mel, menta, canela, zimbro e resinas de árvores. Para os especialistas, estes vinhos eram nobres, destinados a reis e nobres da região.

Em Cannaã, norte de Israel, foram encontradas 40 jarras de vinho de 3700 anos.
Em Cannaã, norte de Israel, foram encontradas 40 jarras de vinho de 3700 anos.
 Segundo especialistas a adega mais antiga do mundo estocava vinhos para reis e nobreza da região.
Segundo especialistas a adega mais antiga do mundo estocava vinhos para reis e nobreza da região.

Fonte: Revista Adega

Dia das mães é “Festa della mamma” na Itália

Assim como no Brasil, o Dia das Mães ou “Festa della mamma” na Itália, celebra a honra da figura da mãe, a maternidade e a influência social das mães. A data, segundo domingo de maio, é comemorada em diversos países.

Tudo começou nos Estados Unidos, quando a data foi sugerida em 1870 por Julia Ward Howe, abolicionista e ativista da paz. Ela sugeriu a criação do Dia das Mães para a Paz como um momento de reflexão contra a guerra. No entanto, só “pegou” quando Anna Jarvis construiu em 1908 um memorial para a sua mãe que era uma ativista pela paz. Graças a popularidade do ato, a data foi oficializado em 1914 pelo presidente Woodrow Wilson com a decisão do Congresso para celebrar o segundo domingo de maio como uma expressão pública de amor e gratidão para as mães.

Madonna Litta, Leonardo da Vinci, 1490
Madonna Litta, Leonardo da Vinci, 1490

 

Assim a comemoração se espalhou, mas com o passar do tempo a data se tornou um feriado comercial. Na Itália, o Dia das Mães foi introduzido no calendário na década de 50. Raul Zaccari, senador e prefeito de Bordighera promoveu uma celebração no segundo domingo de maio de 1956 e contagiou a todos nas cidades próximas. Quem popularizou a festa foi Don Othello Migliosi na Umbria, em Tordibetto de Assis, em 1957. Desde então, a cada ano, a paróquia de Tordibetto oficialmente celebra a festa com eventos como um centro religioso e cultural. A data tornou-se oficial em 1958 quando Raul Zaccari e senadores aprovaram um projeto de lei garantindo a criação do Dias das Mães.

Tordibetto - Umbria.
Quem popularizou a Festa della Mamma foi Don Othello Migiosi, na Umbria, em Tordibetto de Assis.

No Brasil, a data foi instituída pela Associação Cristã de Moços – ACM, em 1918. A data foi oficializada  pelo  presidente Getúlio Vargas, em 1932. Em 1947, a data também entrou no calendário oficial da Igreja Católica.

 

Itália em crise: monumentos históricos em risco

A Itália possui metade do patrimônio cultural mundial e figura no ranking do turismo como quarto destino mundial. Assim, somos atraídos ao país para conferir de perto séculos de história – da era romana ao barroco, passando pelo Renascimento.

No entanto, por conta da crise e do plano de austeridade, já falta dinheiro para manutenção e restauração. O sítio arqueológico de Pompéia, foram registrados desmoronamentos — um deles destruiu a casa de Loreius Tiburtinus, uma das mais belas da cidade. O maior anfiteatro romano, o Coliseu, em Roma, está sofrendo com a queda de fragmentos.

Com o desmoronamento em Pompéia, uma das casas do patrimônio da humanidade desabou.
Por falta de manutenção e restauros, já começam a cair fragmentos do Coliseu de Roma.

Segundo especialistas, a situação pode piorar, uma vez que o Estado italiano dedica apenas 0,21% de seu orçamento à cultura, contra, por exemplo, 1% na França.

Estrangulada pela dívida, a Itália apelou para a iniciativa privada e conseguiu de Diego Della Valle, o rei italiano dos sapatos, proprietário do grupo Tod’s, 25 milhões de euros para patrocinar a restauração do Coliseu, mas ainda é pouco e busca também ajuda da União Europeia. Vamos torcer para que haja um esforço para salvar o tesouro italiano que, afinal,  é da humanidade. É de todos nós.

Hoje é o Dia Mundial do Macarrão!

Desde 1995 vários países comemoram o “World Pasta Day” ou Dia Mundial do Macarrão. A data foi definida durante o 1º Congresso Mundial de Pasta, em Roma.

No Brasil temos motivos para comemorar: somos verdadeiros adoradores de pasta. Segundo dados da Abima (Associação Brasileira das Indústrias de Massas Alimentícias), estamos em terceiro no ranking mundial de produção de massas e 18º lugar no consumo anual (6 kg por pessoa).

Há controvérsias sobre qual país inventou o macarrão. Alguns dizem que o macarrão nasceu na China e que sua receita foi trazida para a Itália pelo navegador Marco Polo. Os italianos contestam. Afirmam que o macarrão foi criado em Roma. De qualquer forma, é incontestável que o país da bota é o responsavel pela difusão e popularização do macarrão em todo o mundo.

 

25 de outubro: Dia Mundial do Macarrão

Em São Paulo tem até um museu dedicado à massa. O Museu do Macarrão, situado na Zona Norte da capital paulistana, é uma iniciativa é do italiano Enrico Vezzani que chegou no Brasil em 1973 para tocar a fábrica de equipamentos da família. O museu foi criado aos poucos. Vezzni foi comprando máquinas antigas e arrecadando documentos com objetivo de contar a história do macarrão e da imigração italiana no Brasil.

Se você estiver em Sampa, dê uma passadinha por lá.

Museu do Macarrão
Rua Francisco Rodrigues Nunes, 131, Limão. Tel.: 3931-7993.
Segunda a sexta, 9h/18h; sábado, 9h/14h. Grátis.

 

Livros brasileiros ganham prêmio de gastronomia

Este mês, foram divulgados os vencedores do Gourmand World Cookbooks Awards 2010, considerado o mais importante prêmio de gastronomia no mundo. Livros brasileiros ganharam em três categorias.

Na categoria Fundraising o livro “Gastronomia Solidária” (vários autores) conquistou o primeiro lugar. Nesta categoria concorrem apenas livros com  histórias e receitas de chefs que participam de projeto de inclusão social através da gastronomia.

O livro nasceu quando a psicóloga Sandra Simões decidiu participar como voluntária na preparação de refeições da Paróquia São Domingos de Perdizes, bairro de classe média em São Paulo. Grandes chefs apoiaram a causa e capacitaram pessoas desempregadas, carentes e moradores de rua que foram absorvidas pelo mercado de trabalho no segmento de gastronomia.

Livro brasileiro: primeiro lugar no prêmio Gourmand World Cookbooks Awards 2010

“Bistrô x Tratoria – Cozinhas da Alma” ficou com o segundo lugar na categoria gastronomia francesa. Escrito pela jornalista Nilu Lebert em parceria com os chefes Hamilton Mellão e Yann Corderon, o livro mostra a rivalidade entre a culinária francesa e a italiana.

Outro brasileiro premiado foi “Bebida, Abstinência e Temperança”. Ele ficou no terceiro lugar da categoria melhor livro de história do vinho. Escrito pelo historiador Henrique Carneiro, analisa os efeitos sociais das bebidas alcoólicas e sua relação com a história da humanidade.

Respeito à memória italiana no Museu do Pão

No Rio Grande do Sul, o Caminho dos Moinhos apresenta moinhos coloniais recuperados integrados como parte de um circuito turístico e cultural.

Em Ilópolis, cidadezinha fruto da imigração italiana na serra gaúcha, o Moinho Colognese tem um anexo contemporâneo que abriga o Museu do Pão e uma Oficina para aulas de panificação.

O projeto foi destaque na capa da revista ArcoWeb, aU e da Projeto e Design. Os arquitetos Marcelo Ferraz e Francisco Fanucci — que converteram o antigo moinho de farinha em Museu do Pão — conquistaram vários prêmios com o projeto.

Na oficina são ministrados cursos de panificação e confeitaria para crianças, jovens universitários e moradores da região
Museu do pão foi criado em 2008 e faz parte do Moinho Colognese

Tem Nordeste brasileiro no Mapa Mundial do Vinho

Você sabia que o Brasil já é o 15º produtor mundial de vinhos?

Você sabia que os espumantes são os melhores e os mais premiados vinhos do Brasil?

Você sabia que os melhores vinhedos estão entre os paralelos 30 e 50?

Você sabia que os vinhedos de Pernambuco, no paralelo 8, tem vinhos premiados mesmo contrariam todas as regras da viticultura? Uma das regras “quebradas” é o necessário período de hibernação. No Nordeste, por não ter inverno, isso não acontece porque não há hibernação das parreiras no Vale do São Francisco. A região produz 25 safras por ano — tudo em sequência!

Veja mais informações sobre a produção de vinhos no Brasil e no mundo no Mapa do Vinho.

Conheça as principais regiões, as uvas mais utilizadas e os produtores mais importantes no Mapa do Vinho.

Comida e futebol: tudo a ver

Partidas de futebol entre Coríntians e Flamengo (Libertadores) fecham o Divina Itália nas próximas quartas-feiras.

Nesta casa são todos loucos por futebol. O Franco e Fernando são corintianos, a Djanira é flamenguista. Na cozinha, diversos “Roxos e Doentes”.

Na quarta-feira, a agenda previa  Flamengo x Corínthians pela oitavas-de-final da Libertadores da América, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro. Para evitar que o caldo entornasse ou que a cozinha desandasse, o restaurante fechou e todos foram juntos — de flâmula, bandeira e patuás — torcer pelos seus respectivos times.

Medida cautelar e sábia que deve prevalecer também na próxima quarta-feira, quando  haverá Corínthians x Flamengo, no estádio do Pacaembu, em São Paulo. Afinal, o Divina é um restaurante italiano, não grego! Assim evitamos pratos quebrados no momento dos pênaltis ou daquela falta polêmica marcada pelo juiz sempre filho da mãe.

Lembrete:  na Paraíba não é permitido falar palavrões no estádio durante o jogo!!! Você acha que a lei pega em partidas como esta?

Fernando e Franco entusiasmados com as camisas (uma retrô e outra do centenário) trazidas de São Paulo por outro corintiano: Francisco Milhorança, da Babel das Artes

Vinho italiano tem produção regulamentada

viticulturaAssim como os franceses, os italianos têm um sistema de leis de vinho para regularizar a indústria e foram estabelecidas em 1963. As leis básicas que regulamentam a produção, as uvas utilizadas para vinhos específicos, as restrições de áreas para plantação, as práticas viticulturais e a quantidade máxima e mínima de álcool foram definidas naquela época. Foram estabelecidas três categorias:

Vino da Tavola – O vinho de mesa são vinhos simples, saborosos e baratos, tomados todos os dias. Ironicamente, esta categoria também representa alguns vinhos classificados como Super Toscanos, que são mais caros.
I.G.T. (Indicazione Geografica Tipica) – Em 1992, a IGT (Indicazione Geografica Tipica – Indicação Geográfica Típica), tornou-se uma nova classificação de qualidade. Ironicamente, alguns vinhos mais caros e mais conceituados, antigamente vendidos como Vino da Tavola, podem ser encontrados agora “atualizados” para IGT.
D.O.C. (Denominazione di Origine Controllata) – Há, aproximadamente, 250 zonas de DOC e 700 vinhos italianos estão nesta classificação. Entretanto, somente uma pequena porcentagem desses vinhos tem alguma viabilidade comercial. Apenas vinte DOCs representam 45% da produção total de DOC do país.
D.O.C.G. (Denominazione di Origine Controllata e Garantita) – Os 14 vinhos DOCG indicam a mais alta qualidade (vinhos que não são apenas “controlados”, mas “garantidos”). Os vinhos DOCG são os nomes famosos como Barolo, Barbaresco, Chianti, Brunello di Montalcino e Vino Nobile di Montepulciano. Vinhos adicionais são solicitados por meio de classificação de DOCG, para que o grupo de 14 vinhos existentes continue crescendo.

Fonte: Enciclopédia do Vinho

Mapa italiano D.O.C.G.
Mapa italiano D.O.C.G.

25 de outubro: Dia Mundial do Macarrão

macarrãoO macarrão está associado família ou amigos reunidos em volta da mesa. É por isso que ele é um paixão popular a ponto de ganhar, há 14 anos, uma data exclusiva para ser festejado.

O dia 25 de outubro foi escolhido por ser o dia da realização do 1º Congresso Mundial de Pasta, em Roma, em 1995. Atualmente, o Dia Mundial do Macarrão é comemorada nos EUA, México, Turquia, Itália, Alemanha, Venezuela e Brasil.

Segundo dados da Abima (Associação Brasileira de Indústrias de Massa Alimentícia), A indústria brasileira produz 1,3 milhão de toneladas/ano, ficando atrás apenas da Itália e dos Estados Unidos que produzem 3 milhões de toneladas e 2 milhões de toneladas, respectivamente. O setor, que no Brasil gera 25 mil empregos diretos, registrou em 2008 um faturamento de R$ 5 bilhões, o que representa um crescimento de 10% em relação ao ano
anterior. O consumo de macarrão no Brasil é de 6,6 kg por pessoa, a cada ano.

Venha comemorar o Dia Mundial do Macarrão no Divina Itália Praia.