Encontrada adega de 3700 anos – a mais antiga do mundo

Em uma região ao norte de Israel, conhecida como Canaã, foram encontradas 40 jarras de vinho que datavam de 3.700 anos atrás.

De acordo com os arqueólogos que acompanharam as escavações, os jarros estavam em uma sala que aparentemente era usada como adega — ligada a sala de jantar.

Os testes realizados nas jarras de 50 litros indicam que o vinho pode ser de um lote especial e aromatizado com mel, menta, canela, zimbro e resinas de árvores. Para os especialistas, estes vinhos eram nobres, destinados a reis e nobres da região.

Em Cannaã, norte de Israel, foram encontradas 40 jarras de vinho de 3700 anos.
Em Cannaã, norte de Israel, foram encontradas 40 jarras de vinho de 3700 anos.
 Segundo especialistas a adega mais antiga do mundo estocava vinhos para reis e nobreza da região.
Segundo especialistas a adega mais antiga do mundo estocava vinhos para reis e nobreza da região.

Fonte: Revista Adega

A imigração italiana no Nordeste e na Paraíba

É sabido que imigração italiana foi mais intensa no Sul e Sudeste do Brasil. O curioso é que a imigração de italianos no Nordeste também marcou a história da região. Há relatos históricos de italianos em Olinda entre os fins do século XVI e início do século XVII.

Na Paraíba, a vinda dos italianos foi maior no século XIX e de grande importância econômica para o Estado. A maioria desembarcavam em Santos-SP e depois de um tempo subia rumo ao Norte do país em busca de oportunidades além do plantio do café.

Os núcleos de italianos na Paraíba deram impulso às atividades artesanais, comerciais e à política nos centros urbanos como João Pessoa e Campina Grande e também no interior, nas cidades de Areia, Mamanguape e Pilar.

O relacionamento entre mascates italianos e senhores de engenho foram abordados até pelo romancista paraibano José Lins do Rego. João Pessoa Cavalcanti, que dá nome a capital do estado e seu tio Epitácio Pessoa (único presidente paraibano do Brasil) estão entre os descendentes de italianos que marcaram a história política da Paraíba.

desembarque de imigrantes italianos
Italianos desembarcam no Porto de Santos, em São Paulo (1907.) Foto: Acervo Museu do Imigrante

No início dos anos 90 foi realizado mapeamento da migração italiana para o Nordeste com entrevistas de duas gerações de descendentes nascidos na região. O estudo resultou no livro A Itália no Nordeste – contribuição italiana ao Nordeste do Brasil, de autoria de Manuel Correia de Andrade, publicado em 1992 pela Editora Massangana (Fundaj) e traduzido em italiano pela Fondazione Giovani Agnelli, patrocinadora da pesquisa.

Leia também: Dia do Imigrante Italiano. Veja a propaganda que  atraía os italianos ao Brasil.

A Montanha homenageia o Exército Brasileiro

Filme "A Montanha", direção do brasileiro Vicente Ferraz.

Ainda em fase de produção, A Montanha é fruto de uma cooperação italo-luso-brasileira e reconhecida como de “interesse cultural” pela Itália. O filme dirigido por Vicente Ferraz tem como atores o brasileiro Daniel Oliveira,  o alemão Richard Sammel (“Bastardos inglórios”), o italiano Sergio Rubini (“A paixão de Cristo”, de Mel Gibson) e o ator português Ivo Canelas.

Segundo o blog Notícias da Bota, o drama ressalta o fato do Brasil ter sido o único país latino-americano a enviar tropas para lutar junto aos aliados na Segunda Guerra. E também narra como os pracinhas brasileiros sofreram com o frio europeu.

Neste ano em que se celebra a Itália no Brasil, o filme propaga a informação não tão conhecida pelos italianos: o Brasil também ajudou o país a se libertar do fascismo e nazismo.

Veja o teaser do filme no link  KoOfm6Fd1yc