Sobrou macarrão? Aproveite em deliciosas receitas

Existe uma campanha internacional contra o despedício de alimentos “Love Food, Hate Waste” (tradução: “ame a comida, deteste o desperdício”) e nós apoiamos a iniciativa! O Waste & Resources Action Programme (WRAP) descobriu que pessoas que planejam, criam listas de compras e monitoram os alimentos que têm disponíveis na despensa, desperdiçam menos comida do que os “compradores espontâneos”. E uma das ações da organização é incentivar as pessoas a tirar proveito das sobras de alimentos em novas receitas.

Dentro desta abordagem, abaixo sugerimos abaixo a omelete (frittata di pasta) e o suflê. Ambas aproveitam a sobra da massa que ficou na panela ou na travessa. Mãos à obra e buon appetito!

Omelete de macarrão

Omelete de macarrão leva ovos e queijo.
Omelete de macarrão leva ovos e queijo.

 

 

Ingredientes: 400 gr Pasta (ou sobras de massa – normalmente sobra massa de tomate)

4 ovos 40 gr Parmiggiano/parmesão (ralado)

100 gr mussarela (cortado em cubos)

10 gr Salsa (picada)

50ml Azeite Sal e pimenta (a gosto)

 

Em uma tigela, misture os ovos e o parmesão com uma pitada de sal e pimenta. Adicione o macarrão (ou sobras de macarrão) , salsa e mussarela nos ovos batidos até ficar bem misturado. Aqueça um pouco de óleo em uma frigideira e adicione a mistura de macarrão com ovos e cozinhe por 9 minutos de cada lado em fogo médio. Coloque sobre um prato e polvilhe o parmesão e salpique a salsa picada por cima.

Suflê de macarrão

Suflê de macarrão com queijo rende 10 porções.
Suflê de macarrão com queijo rende 10 porções.

 

 

(receita da Abima)

3 xícaras (chá) de sobras de macarrão cozido

500ml de leite frio

1 colher (sopa) de cebola cortada em cubinhos

1 envelope de caldo de legumes em pó

4 gemas 100ml de óleo

¾ de xícara de chá de farinha de trigo

1 colher de sopa de fermento em pó

50g de queijo tipo parmesão

50g de queijo tipo provolone (opcional)

½ xícara (chá) de cheiro verde fresco cortado

Sal e pimenta do reino a gosto

4 claras batidas em neve

Recheio

1 colher (sopa) de queijo tipo gorgonzola ralado grosso

100g de queijo tipo suíço ou prato, ralado ou em cubinhos

4 colheres (sopa) de requeijão firme

Noz moscada e pimenta-do-reino a gosto

Cobertura 50g de queijo tipo parmesão ralado

2 colheres (sopa) de farinha de rosca

Para assar 10 formas pequenas untadas com manteiga e polvilhadas com farinha de rosca

Recheio Misture os queijos com o requeijão, tempere com noz moscada e pimenta-do-reino a gosto. Reserve Massa Bata no liquidificador o macarrão, o leite, a cebola, o caldo de legumes e as gemas. Em uma tigela, misture o óleo, a farinha de trigo com o fermento, os queijos e o cheiro verde. Tempere com sal e pimenta-do-reino a gosto. Por último, misture delicadamente as claras em neve Coloque uma porção de massa na forma, espalhe o recheio e cubra com mais uma porção de massa. Coloque a cobertura e leve para assar em forno médio até dourar Rendimento: 10 porções

Struffoli: sobremesa italiana de Natal

Strufolli: sobremesa típica do Natal na Itália.

Dá para saborear o Struffoli durante todo o ano, mas a sobremesa é típica na ceia de Natal. É muito fácil de fazer.

Ingredientes
2 ovos
4 colheres (sopa) de açúcar
1 colher (sopa) de fermento em pó
1 colher (sopa) de rum (limoncello, conhaque ou cachaça)
2 colheres de manteiga
Raspas de 1 limão
1 2/3 xícara de chá de farinha de trigo peneirada (ou que baste)

1) Bata com um garfo os ovos, o açúcar, o rum (limoncello, conhaque ou cachaça) e a manteiga. Acrescente as raspas de limão e o fermento em pó, mexa bem. Vá juntando a farinha aos poucos até dar ponto de enrolar, fica uma massa lisa e brilhante. Deixe descansar coberta na geladeira por meia hora pelo menos.

2) Abra a massa em rolinhos compridos com 1 cm de diâmetro, como nhoque, e corte a espaços de 1 a 1,5 cm. Depois de cortar todos, enrole levemente só para deixar redondinho. O ideal é que fique do tamanho de um grão-de-bico (cozido) porque eles crescem depois de fritos.

3) Frite em óleo quente. Se precisar deixe em fogo médio ou baixo. Vire sempre as bolinhas,  até dourar. Escorra e reserve.

Calda
1/2 xícara de mel
raspas de laranja e confeitos (pode ser pinholes ou, para dar um sabor tropical, castanha de caju moída)

Finalização
Regue as bolinhas e arranje-as sobre um prato em forma de pirâmide. Derrame mel várias vezes sobre as bolinhas, elas ficam crocantes por fora e absorvem o mel. Sirva no final da ceia, com o cafezinho.
Dica: dá para fritar tudo com antecedência. É só guardar em recipiente fechado.
Há também receitas já adaptadas pelos imigrantes no Paraná que usam amendoim. Veja aqui.
Veja mais receitas de Natal em Petit Chef

Concurso Pão de Açúcar para comemorar o Ano da Itália no Brasil

Para comemorar o Ano da Itália no Brasil, o Pão de Açúcar criou o “Concurso Cultural Meu Sabor da Semana”.

Receitas de clássicos da cozinha italiana foram enviadas por clientes da rede de supermercados. As receitas vencedoras e premiadas no valor de R$1500,00 foram realizadas pelos chefs Felipe Cilli e Carole Crema. O coquetel foi produzido pelo bartender Marcelo Serrano.

As gravações estão no Youtube. É um jantar completo, com entrada, prato principal e sobremesa. Tem até o coquetel de boas-vindas aos convidados.

Confira os quatro vídeos: Rossini, Sardela La Toscana, Penne Al Gamberi e Zuchinni e Panna Cotta de Leite de Coco com Maracujá e o .

Bíblia da gastronomia italiana em português. Imperdível

Os amantes da culinária italiana e da gastronomia como cultura já estão se deliciando com o lançamento da primeira edição em português do livro “A ciência na cozinha e a arte de comer bem”, do italiano Pellegrino Artusi.

Considerado uma Bíblia gastronômica, foi lançado em 1831, período turbulento na Itália, então envolvida em batalhas pela unificação e independência do país.

Além das 790 receitas de todas as regiões da península, foi um valioso instrumento na consolidação da lingua italiana, por ter sido escrito no dialeto toscano, um dos inúmeros dialetos falados na Itália e que, após a unificação, tornou-se o idioma oficial do país.

Até hoje, inspira chefs de todos os cantos do planeta.

À venda na Livraria Saraiva


.

Alguns doces típicos do Carnaval italiano

A Itália sempre teve receitas exclusivas para a folia. Já citamos aqui no blog o Fritelle de Carnavali, iguaria mais famosa durante o carnaval de Veneza.

Segundo o escritor alemão Johann Wolfgang Goethe, no livro Viaggio in Italia – 1786/1788 (Biblioteca Universale Rizzoli, Roma, 2003) naquele país havia excessos alimentares durante o Carnaval — só para compensar a “penúria” durante a quaresma. Assim, as famílias nobres até jogavam comida das janelas dos seus palácios para o povo que a disputava embaixo.

Mas o que chama a atenção é que em qualquer região da Itália, as comidas típicas do Carnaval são sempre doces frituras. Confira algumas delas abaixo.

Cicerchiata – É uma especialidade típica do centro da Itália (Abruzzo, Umbria, Marche, Lácio). Em Abruzzo e Marche, é frequentemente associada à celebração do Carnaval. A cicerchiata é feita de massa de farinha, ovos, manteiga ou azeite, açúcar, licor e suco de limão. As bolinhas são fritas em azeite ou banha. Antes de servir, as bolinhas são banhadas em calda feita com mel e água quente.

Cerchiata: depois de fritas, as bolinhas são banhadas com calda quente de mel

Sfrappole – O doce mais popular do Carnaval marca presença por toda a Itália, embora sob diferentes nomes: grostoli, Sfrappole, Frappe, Galani, Cenci ou Chiachiere. A variação na receita de Sfrappole em diferentes regiões é grande e há até versões industrializadas. Nos ingredientes pode haver Marsala ou vinho branco, em algumas receitas pode levar licor de anis.

Sfrappole: popular em várias regiões da Itália.

Castagnole – É típico da culinária da região de Friuli durante o período de Carnaval, mas também encontrados em várias regiões da Itália (com outro nome como Donuts ou Tortelli Milanesi). Os bolinhos são pequenos como as castanhas da europa e são macios por dentro. Veja receita aqui (em italiano, com fotos e vídeo).

 

Castagnole: macios por dentro.

Ravioli dulci di Carnavale – Recheados de geléia e cobertos com açúcar, o ravioli doce são preparados como o clássico ravióli de massa fresca, mas tem uma dupla camada de massa. A diferença é que não são mergulhados na água quente, mas fritos em óleo. O recheio pode variar: chocolate ou Nutella também ficam ótimos. Veja a receita aqui (em italiano, com fotos e vídeo)

Ravioli de Carnavale: recheio de geléia, chocolate ou Nutella.