Struffoli: sobremesa italiana de Natal

Strufolli: sobremesa típica do Natal na Itália.

Dá para saborear o Struffoli durante todo o ano, mas a sobremesa é típica na ceia de Natal. É muito fácil de fazer.

Ingredientes
2 ovos
4 colheres (sopa) de açúcar
1 colher (sopa) de fermento em pó
1 colher (sopa) de rum (limoncello, conhaque ou cachaça)
2 colheres de manteiga
Raspas de 1 limão
1 2/3 xícara de chá de farinha de trigo peneirada (ou que baste)

1) Bata com um garfo os ovos, o açúcar, o rum (limoncello, conhaque ou cachaça) e a manteiga. Acrescente as raspas de limão e o fermento em pó, mexa bem. Vá juntando a farinha aos poucos até dar ponto de enrolar, fica uma massa lisa e brilhante. Deixe descansar coberta na geladeira por meia hora pelo menos.

2) Abra a massa em rolinhos compridos com 1 cm de diâmetro, como nhoque, e corte a espaços de 1 a 1,5 cm. Depois de cortar todos, enrole levemente só para deixar redondinho. O ideal é que fique do tamanho de um grão-de-bico (cozido) porque eles crescem depois de fritos.

3) Frite em óleo quente. Se precisar deixe em fogo médio ou baixo. Vire sempre as bolinhas,  até dourar. Escorra e reserve.

Calda
1/2 xícara de mel
raspas de laranja e confeitos (pode ser pinholes ou, para dar um sabor tropical, castanha de caju moída)

Finalização
Regue as bolinhas e arranje-as sobre um prato em forma de pirâmide. Derrame mel várias vezes sobre as bolinhas, elas ficam crocantes por fora e absorvem o mel. Sirva no final da ceia, com o cafezinho.
Dica: dá para fritar tudo com antecedência. É só guardar em recipiente fechado.
Há também receitas já adaptadas pelos imigrantes no Paraná que usam amendoim. Veja aqui.
Veja mais receitas de Natal em Petit Chef

Torta da Djanira conquista clientes

Alguns clientes nos disseram nesta semana que vieram só para degustar a Torta da Djanira. E não foi a primeira vez que isso aconteceu. A sobremesa tem gerado fidelidade à casa, inclusive a cada dia surgem mais encomendas de clientes que querem levar a torta para festas e encontros em família.

A torta tem camadas de biscoito intercaladas com creme e cobertura de chocolate. Como não leva ovos, tem sabor levíssimo. No Divina Itália a sobremesa é servida em fatias. É feita também sob encomenda, inteira, em duas opções de tamanho.

Se você ainda não conhece… experimente. Mas alertamos… depois de provar, não dá mais para abrir mão desta sobremesa divina.

Torta da Djanira faz o maior sucesso no Divina Itália.

 

Turma do teatro no Divina Itália

Guilherme Leme: elogios para o molho de tomate do Franco e para o strogonoff de morango da Djanira

Esta semana recebemos na casa o ator Guilherme Leme e o pessoal da produção da peça O Estrangeiro, baseada na obra de Albert Camus, que esteve em curta temporada na Paraíba no último final de semana.

O peça encenado por Guilherme (um monólogo) teve apresentações em Campina Grande e aqui em João Pessoa. No Nordeste, a turnê incluiu Arapiraca e Maceió, em Alagoas; e as cidades de Porto Seguro, Salvador e Vitória da Conquista, na Bahia. Agora a peça está em São Paulo — já demos a dica: em Sampa, visitem o Divina Itália na Vila Madalena!

A hora da sobremesa foi uma festa! À dir. a produtora cultural Deise: foi ela quem trouxe esta turma do teatro para o Divina Itália.

Sobremesa do dia: Nuvem de limão

Versão contemporânea do pudim de claras, a nova sobremesa criada pela Djanira tem fino suspiro como base e cobertura de compota de cascas de limão. A combinação de texturas e o equilíbrio da acidez da fruta com a doçura das claras são inesquecíveis. Experimente.

A sobremesa ainda não faz parte do cardápio fixo do Divina Itália, mas aparece eventualmente como sugestão do dia. Que tal telefonar antes para garantir a sua?

Divina Itália atrai jornalistas-escritores

Nelson Motta, Zuenir Ventura e Claudia Alencar estiveram no dia 29 de maio jantando no restaurante Divina Itália. Os jornalistas e a atriz (todos com livros recém-lançados) participaram do XIII Festival Nacional de Artes – Fenart 2010, em João Pessoa de 23 a 29 de maio.

Os autores estavam acompanhos de Ana Viana e seu marido Bia Bezerra e também de Monica Silveira (todos jornalistas).  Claudia, Nelson e Monica provaram diferentes massas e Zuenir escolheu o risoto de manga com queijo brie. Elegeram o chileno Ímpetu Carmenére para acompanhar os pratos.

Ao final, antes de partirem, Monica declarou entusiasmada: “foi a melhor torta holandesa que já provei”. Já Motta elogiou o Strogonoff de Morangos que qualificou como sobremesa “deliciosa e criativa” e lamentou não poder ficar mais alguns dias na cidade para provar outros pratos (curtiu a ideia da lasanha de carne-seca com jerimum e da massa ao molho de limão com camarões no vapor).

Além dos elogios, Motta deu para Franco uma receita de risoto de vinho com uvas, garimpada em um restaurante de New York. Os dois conversaram por algum tempo sobre o trabalho que já fizeram juntos, quando o chef ainda era produtor/editor de imagens (mais sobre o passado profissional do Franco aqui).

Ana Viana, Zuenir Ventura, Franco, Nelson Motta, Claudia Alencar e Mônica Silveira no Divina Itália
Franco e Nelson Motta: reencontro rende dica de receita

Sobre os livros lançados na Fenart: Força Estranha, de Nelson Motta, reúne “causos” em cenários e épocas nas décadas de 1960 e 1980 na orla da Zona Sul do Rio de Janeiro. O livro Sutil Felicidade, de Claudia Alencar é uma seleção de poemas e ilustrações da própria artista. Já o livro Conversa Sobre o Tempo trata-se de papos sobre família, amizade, paixões, política e morte entre dois grandes escritores brasileiros: Zuenir Ventura e Luis Fernando Veríssimo.